Revestimento de piso para usina de álcool: fatores técnicos para escolher o modelo certo

Imagem:

Cada segmento industrial conta com aspectos e fatores específicos que caracterizam o seu ambiente. Outro fato incontestável, é que por conta dessas individualidades locais, cada setor necessita também de cuidados específicos para garantir a integridade e o melhor desempenho da operação.

O ambiente de usinas de álcool, por exemplo, exige uma série de cuidados e parâmetros importantes a serem levados em consideração para garantia de sua segurança. Em outras palavras, o revestimento de piso escolhido para um espaço como este, precisa levar em conta as condições do espaço de aplicação, a preparação da superfície entre outros fatores.

Principalmente por se tratar de um ambiente com nível de produção em escala industrial, usinas e destilarias de álcool acabam também produzindo uma grande quantidade de sujeira e acúmulo de substâncias em seu espaço físico. Entretanto, o volume de matéria descartável produzido neste ambiente merece um cuidado especial, afinal, trata-se de resíduos químicos sensíveis (alguns deles corrosivos ou até inflamáveis). Por isso, a escolha por um revestimento de piso industrial deve ser feita com cuidado.

Quais aspectos priorizar em um modelo de revestimento para usina de álcool?

Antes de efetivamente listar fatores que devem ser considerados na escolha pelo modelo ideal de revestimento, é importante deixar claro de que a solução deve contar com propriedades que facilitem não somente a higienização do piso, como também possam agir contra o acúmulo de bactérias e microrganismos em sua superfície.

Além disso, o material deve contar propriedades que tenham grande resistência no contato com substâncias químicas que estão presentes na operação local. Lido isto, veja os fatores técnicos que influenciam a escolha do modelo de revestimento para usinas e destilarias de álcool:

Meio ambiente atmosférico e meio ambiente industrial

A maior parte das usinas e destilarias do Brasil situam-se em zonas rurais, o que leva a impressão de que não há um índice considerável de corrosividade atmosférica considerável no ambiente. No entanto, não é este panorama que é encontrado, já que a cana-de-açúcar não se desenvolve em áreas com taxas de corrosão efetivamente baixas (regiões áridas com pouco volume de chuva anualmente).

Desta forma, conclui-se que, na verdade, estes ambientes encontram-se em áreas acostumadas a receber níveis de corrosividade que podem, com o agir do tempo, gerar focos de concentração de corrosão, que acabam impactando a qualidade e durabilidade de estruturas, equipamentos e, inclusive, o revestimento de pisos. Este fator se caracteriza como o meio ambiente atmosférico.

No caso do meio ambiente industrial, trata-se de um fator que leva em consideração o dimensionamento dos equipamentos (com base no seu local de instalação), focando no desempenho e resistência à corrosão que os mesmos têm contra substâncias ácidas do local (cana-de-açúcar, melaço, mosto, vinhoto, além do próprio álcool). Da mesma forma, o revestimento pode ser afetado na exposição ou constante atrito com esse material.

Condições de agressividade

Outro ponto muito importante neste processo de escolha do revestimento, é ter em mente o quanto o seu piso ou revestimento entrará em contato/ficará exposto a materiais e substâncias danificadoras. Isto porque, cada modelo é capaz de resistir a determinadas condições e tipos de substâncias.

Por isso, é levado em conta o volume de “respingos” que certas áreas podem vir a receber (proveniente de toda a operação) e o quanto podem impactar o solo, o nível de resistividade (que tem a corrosividade do solo como referência), o fluxo de equipamentos pesados e outros exemplos que gerem desgaste a superfície do revestimento.

Tipos de piso indicados

Recomenda-se o uso do revestimento em poliuretano vegetal para usinas de álcool, principalmente pelo fato de apresentar excelentes níveis de resistência a elementos químicos. A ausência de porosidade é uma qualidade de grande destaque, já que esta condição auxilia justamente na ação contra as bactérias.

Outra alternativa, o revestimento em epóxi apresenta níveis consistentes de impermeabilidade, o que é um fator inibidor contra possíveis infiltrações no substrato. Em todo caso, a melhor forma de acertar na escolha de revestimento é contar com um especialista que possa fazer um estudo específico no espaço de sua usina para determinar a aplicação da melhor solução conforme as características específicas do local.

Posts relacionados

Solicite um contato com nossa Equipe técnica

Desenvolvido por AO5 Marketing Digital