BEM-VINDO A CJI !

Aqui você encontra Soluções Integradas entre produtos de primeira qualidade e mão de obra especializada na preparação e aplicação de revestimentos para pisos industriais de alto desempenho.

Nossos profissionais são atualizados constantemente por meio de processos de reciclagem e treinamentos, os equipamentos que utilizamos na preparação e aplicação de nossos revestimentos são modernos e de última geração. Disponibilizamos a nossos clientes não apenas produtos ou serviços de qualidade e sim Soluções Integradas e específicas dimensionadas para cada tipo de solicitação, buscando sempre a satisfação total na solução implantada.

Navegue pelo site e confira toda nossa linha de produtos e serviços.

Medição e controle de planicidade e nivelamento em pisos industriais

Postado por: admin | Concreto | quarta-feira 24 novembro 2010 14:19

Medição e controle de planicidade e nivelamento em pisos industriais

Certamente que pisos mais planos e nivelados são esteticamente melhores. Entretanto, o controle da qualidade da superfície do piso com relação a planicidade e nivelamento tem um fundamento muito mais funcional do que estético.

Pisos com problemas no nivelamento e planicidade acarretam menor perfomance das operações de logística: perda de produtividade (menor velocidade de operação na movimentação de cargas), menor segurança (risco de colisões das empilhadeiras contra a estrutura de porta-pallets em corredores estreitos), além de maior manutenção dos veículos.

Para garantia de sucesso na obtenção de elevados índices de nivelamento e planicidade, o executor do piso deve estar familiarizado com o sistema de especificação e medição (sistema F-Numbers) e, além disso, obviamente, com as operações de acabamento necessárias para obtenção dos índices especificados.

Até 1987, o sistema empregado para certificação da qualidade da superfície do piso consistia na verificação da máxima abertura entre o piso e uma régua de 3 m.

01

Com base nos resultados das aberturas classificava-se o piso com relação a planicidade:

  • Superfície plana – até 5 mm
  • Superfície muito plana – até 3 mm

Este método de avaliação apresenta as seguintes restrições:

  • Não avalia o nivelamento da superfície do piso;
  • Avaliação imprecisa da planicidade, pois não avalia a freqüência das imperfeições (ondulações); só avalia a amplitude;
  • Dificuldade em reproduzir os resultados e em ensaiar grandes áreas.

Uma grande inovação surgiu com a introdução do conceito F-Number (F-Number system) em 1987. A partir daí, passou-se a realizar a especificação e medição da planicidade e do nivelamento dos pisos industriais, com base nesta metodologia denominada F-Numbers, que é detalhadamente descrita pela norma ASTM E 1155 / 961.

De acordo com esta norma, pode-se definir F-Numbers como sistema normalizado (ACI 117, 1990)2 de especificação e medição da planicidade e nivelamento de pisos de concreto sujeitos a tráfego randômico.

Os objetivos deste método são:

  • Estabelecer conformidade do piso (com relação aos F-Numbers especificados);
  • Avaliar os efeitos de diferentes métodos construtivos;
  • Avaliar a habilidade de execução sob as diversas condições;
  • Avaliar deformações do piso, por movimentação estrutural ou empenamentos.

A especificação dos F-Numbers deve contemplar dois parâmetros:

  • FF para planicidade (flatness), definido pela máxima curvatura no piso em 600 mm, calculada com base em duas medidas sucessivas de elevações diferenciais, tomadas a cada 300 mm;

02

FL para nivelamento (levelness), definido pela conformidade relativa da superfície com um plano de referência (geralmente o plano horizontal), medido a cada 3 m;

03

Nos casos de pisos inclinados ou em lajes suspensas (por causa de eventuais deformações) não faz sentido especificar ou medir o FL para controle da execução. Pode-se realizar a medição do FL para avaliação das deformações da estrutura.

Quando empregado o sistema F-Numbers, devem-se adotar dois requisitos para cada F-Number (FF ou FL):
·          Valor global (specified overall value – SOV), que é o valor do índice de planicidade ou nivelamento a ser atingido, calculado com base na média ponderada com a área dos resultados individuais de cada faixa de concretagem (seção de teste);
·          Valor mínimo local (minimum local value – MLV), que representa o menor valor aceitável de planicidade ou nivelamento para qualquer trecho do piso, faixa de concretagem ou parte dela. Este parâmetro não deve ser confundido com o conceito de Fmín empregado exclusivamente na medição de pisos sujeitos ao tráfego definido de veículos.

A principal função do valor mínimo local é garantir ao cliente que todas as partes do piso estejam em conformidade com uma qualidade mínima, que garanta sua funcionalidade. As áreas (a placa como um todo ou parte dela) que apresentarem resultados de F-Numbers inferiores aos valores mínimos, deverão obrigatoriamente ser reparadas ou reconstruídas (Tipping, 1996)3.

Fonte: www.pisosindustriais.com.br